Para muitas pessoas o maior desafio na hora de planejar a tão sonhada viagem de férias é a situação financeira. Por mais que que pareça difícil, é possível colocar os planos em prática com pouco dinheiro. Mas, antes de tudo, é importante definir quais são as prioridades e entender o que cabe no seu bolso, além de saber com o que deve gastar ou não.

Para onde ir?

Definir o destino tem grande influência na organização financeira, porque dependendo da distância, a viagem pode ficar bem mais cara. Por isso, é preciso avaliar o que é mais importante: conhecer outro país? Ir a um local em que se possa aproveitar programas ao ar livre? Conhecer culturas diferentes? Todos esses fatores terão influência na decisão sobre o destino da sua viagem.

Se o objetivo for viajar e gastar menos, vale repensar o destino. Na América do Sul, por exemplo, existem destinos interessantes, com preços mais baixos do que outros locais turísticos, e vai te ajudar a gastar menos.

Se o intuito for destinos mais caros como Estados Unidos, Londres e Austrália, por exemplo, basta se planejar com maior antecedência.

Quanto tempo de viagem?

Na hora de planejar também é importante pensar em quanto tempo deseja passar no local, sabendo que quanto mais dias fora de casa, maior o custo final. O preço de hospedagem, alimentação, compras e assim por diante, que podem gerar um custo maior, têm que ser avaliados. Alguns desses quesitos podem ser driblados com pacotes de viagem, que incluem estadia, passagens, alimentação, e outros serviços. Na maioria das vezes pode sair mais barato contar com uma operadora de viagens do que escolher cada detalhe por conta própria.

Pesquisar o valor das passagens com meses de antecedência pode te dar um grande desconto. Além de promoções, a possibilidade de ter mais tempo para pagar até a viagem garante uma preocupação a menos. O mesmo vale para hospedagem, já que pacotes com descontos podem ser encontrados meses antes do que quando se fecha tudo em cima da hora. Além disso, sempre confira quais serviços estão incluídos na hospedagem. Existem hotéis que oferecem café da manhã durante a estadia, o que já representa uma economia. Outros têm parceria para descontos em passeios e traslados gratuitos do aeroporto para o local, veja qual se encaixa melhor no seu plano de viagem, afinal, avaliar o custo benefício é fundamental quando se tem pouco dinheiro.

É indicado que a viagem internacional seja planejada, em torno de oito meses antes da data escolhida, e em caso de uma viagem nacional, em torno de quatro meses. Para isso, o viajante também pode contar com um agente de viagens para elaborar todo o roteiro, considerando o perfil de cada um.

Outro ponto interessante e que vale ser considerado, diz respeito aos passeios com circuitos de ônibus. Desta forma, os gastos de transporte e guia turístico, por exemplo, são divididos entre o grupo do passeio e acaba gerando uma economia ainda maior ao viajante. Estes circuitos são oferecidos para grupos mais jovens, com passeios específicos para a faixa etária, e até para pessoas mais maduras. Não é necessário ter um grupo fechado para contratar o serviço.

Só leve o que for essencial!

O excesso de bagagem é outro fator que merece atenção, então leve somente o necessário. Esse é um custo extra que é fácil de ser evitado, lembrando que diversos viajantes têm o costume de comprar muitos itens durante a viagem, é justamente nesse momento que se perde o controle do peso das bagagens e, se o intuito é justamente gastar pouco, não faz sentido cair na tentação da compra compulsiva. Pense sempre em economizar.

Além disso, na hora de montar a mala, atente-se a escolher roupas e sapatos confortáveis e fáceis de serem repetidos. Pesquise como estará o clima na região e se adeque a ele. Outra dica é levar embalagens reduzidas de cremes e shampoos, por exemplo, próprias para serem usadas em um período curto de viagem.

Economize!

Não existe fórmula mágica para ter dinheiro para viajar: é preciso poupar uma quantia se deseja atingir esse objetivo. Abrir mão de hábitos que custam caro e fazer uma reserva financeira para a viagem é crucial.

É importante encarar os planos de férias como qualquer outra meta financeira, como fazer algum curso, adquirir aposentadoria, comprar a casa própria, e assim por diante. Por isso, listamos algumas dicas para te ajudar nessa missão:

Antes da viagem

Reduzir gastos com lazer: dispensar aquele cineminha vai te proporcionar outro momento especial e no seu destino dos sonhos. Que tal guardar esse dinheiro para aproveitar por lá?!

Pesquisar dados antes de fazer qualquer compra: compras conscientes geram planejamentos financeiros conscientes. Pesquise os melhores preços, lojas e produtos. Além disso, sempre pense: “eu realmente estou precisando deste produto agora ou posso deixá-lo para depois?”.

Não gastar mais do que ganha: um dos maiores erros de quem quer guardar dinheiro é se perder no quanto ganha e o quanto gasta. Reserve uma quantia fixa para a sua viagem por mês, deposite-a em algum banco ou cofre, e não gaste o que sobrar do salário com o que pode ser deixado para lá.

Economizar por alguns meses antes da viagem: coloque no papel o quanto você ganha e em quanto tempo terá a quantia que precisa. Planejamento é tudo antes de viajar.

Comprar à vista sempre que puder: em contexto geral, a dica é: fuja de dívidas. Não caia nas armadilhas do cartão de crédito, pois as dívidas serão refletidas nos próximos meses e pode comprometer o orçamento da sua viagem. A melhor opção é negociar o valor à vista.

Durante a viagem

Evite gastar tanto com alimentação: faça um orçamento diário para gastar com alimentação durante o dia e priorize os restaurantes onde tem mais interesse em conhecer. Para economizar, é interessante comprar lanchinhos rápidos no mercado e levar na bolsa. Quando a fome apertar durante o passeio, você não precisará gastar além do seu planejamento.

Descontos em ingressos: normalmente, os ingressos comprados com antecedência são mais baratos do que aqueles comprados em cima da hora. Planeje-se considerando o seu roteiro e economize desde o início da viagem. Além disso, atente-se se há desconto para compra de tickets para mais de uma pessoa. Alguns parques e passeios têm pacotes para família!

Transporte público: algumas cidades do mundo possuem transportes muito eficientes. Aproveite este fato ao seu favor, e economize utilizando ônibus, trem, metrô e deixe os gastos com Uber e aluguel de carro para segundo plano.

Viu como é possível, sim, viajar com pouco dinheiro?! Tudo depende de um bom planejamento e um pouco de força de vontade na economia! O importante é usar a criatividade e manter o foco para alcançar a sua viagem dos sonhos.

Avaliar 0

(0)